quarta-feira, 16 de junho de 2010

Pela defesa do ambiente

Depois da operação LIMPAR PORTUGAL em que este blog esteve empenhado desde o inicio e em que a nossa amiga Fernanda Ferreira (Ná) teve um papel muito activo e bem notado, foram denunciados casos de reincidência, com a passividade das autarquias que, no entanto, são responsáveis localmente pela defesa dos interesses das populações e devem criar e manter uma estrutura eficiente para tal efeito.

O artigo de Paula Ferreira no Jornal de Notícias, A selvagem indiferença aborda este tema de forma muito objectiva, citando casos concretos, do qual transcrevemos algumas frases e aconselhamos a sua leitura.

Efectivamente, mantém-se o mau hábito de criar «anacrónicas lixeiras a céu aberto: novamente aí depositam trastes velhos, frigoríficos, televisões, resíduos da construção civil. Sinal de selvagem indiferença pelo próximo, gesto que deveria ter sido há muito banido.»

Há que evitar que «alguns cidadãos do tal país dos brandos costumes, sem qualquer pudor, despejem o electrodoméstico fora de moda ou que deixou de funcionar.»

Não devemos encarar a hipótese de «limpar outra vez, juntar novamente 100 mil voluntários e meter mãos à obra». Não «será boa ideia limpar para que os mesmo voltem a sujar». Será sem dúvida «melhor denunciar, fiscalizar, acabar com o porreirismo nacional de não fazer queixa, com o argumento piedoso de que vai prejudicar o coitado que não pode pagar». «Eles, no entanto, prejudicam-nos a todos e não parecem minimamente preocupados» porque, com a sua falta de civismo, pensam que «vem sempre alguém atrás e limpa».

Insisto naquilo que na altura da referida operação de limpeza, disse repetidamente. É preciso manter os objectivos de defesa do ambiente, sem esmorecimento, mas usando outra táctica: observar atentamente o que se passa, registar todos os abusos, denunciar às autoridades autárquicas e, se estas não actuarem eficazmente, denunciar publicamente a sua incúria. É preciso colocar as autarquias perante a sua responsabilidade de esclarecer a população, coimar os infractores, obrigar a remover os lixos e, se a remoção não for feita, ser a autarquia a fazê-la, imputando os custos aos infractores detectados. A população deve ser estimulada a denunciar os infractores, porque «eles prejudicam-nos a todos».

Fotografia de José Ferreira

1 comentário:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Este é um tema que me deixa até mal disposta, com o estômago revirado, com azia...
Pela indiferença e falta de civismo, mas muito mais pela falta grosseira de interesse dos responsáveis, as autarquias. O casal Ferreira e o amigo Egas, meu colega coordenador, desistimos, fechamos definitivamente a nosso Blog - Cerveira Sempre Limpa, por falta de interesse total no que se publicava. Nem os próprios membros se interessaram mais, nem uma só palavra. Nada!
A nossa última intervenção foi levada até à Câmara Municipal, ao Engº que detêm, entre outras a pasta do Ambiente... e para nada.
Nada não, agora viram-me a cara, porque as verdades são para serem ditas...

Passamos então agora a denunciar as situações e as manobras das autarquias via YouTube.
Vejam na Youtube, Cerveira pela negativa.
Mais vídeos surgirão, sem temer nada nem ninguém.
Pagamos impostos e estão todos em dia, nós TODOS temos mesmo é que não recear ferir suas excelências, os que nos estimulam para de nós tirarem partido e na prática nada fazem.
Isso tem nomes muito feios, DESONESTIDADE, FALSIDADE, OPORTUNISMO, CANALHICE ....

O Povo tem alguma culpa, falta-lhe o civismo, a compreensão para a importância de manter a natureza limpa. Mas faltam as campanhas de sensibilização, falta o insistir nesta tecla, dia após dia.
Faltam as coimas sim e bem pesadas para os prevaricadores, como diz, E... faltam acções por parte DAS AUTARQUIAS.
Em Cerveira foram removidas 160 toneladas de lixo, mas muito mais ficou por remover. O mais grave, o que nos deixa azedados, frustrados, doentes mesmo, é que muito, mas muito lixo mesmo, foi seleccionado, ensacado, preparado para ser recolhido e até hoje fcou lá esquecido.
O Câmara esqueceu-se até que a ValorMinho, o aterro de Cerveira, alargou o prazo para a recolha de forma gratuita...
mas não foi aproveitada.
Afinal, e isto são palavras registadas pelos três elementos mais activos no Limpar Portugal em Cerveira " a Câmara não espera tanto e está muita satisfeita com o resultado da acção do dia 20"

O que dizer mais ???
Obrigada amigo João por trazer novamente este tema ao nosso Blog.

Beijinhos


Na casa do Rau