segunda-feira, 16 de maio de 2011

Presidente do FMI foi detido em Nova Iorque


Dominique Strauss-Kahn (Neuilly-sur-Seine, 25 de Abril de 1949), frequentemente chamado de DSK, é um economista, advogado e político membro do Partido Socialista (PS) francês. Em 28 de Setembro de 2007, ele foi seleccionado como o novo presidente do Fundo Monetário Internacional – FMI. DSK é considerado um possível candidato para a Presidência da França em 2012.(ver aqui e também aqui e aqui)


Fica assim ameaçada a presença de Strauss-Kahn na reunião dos ministros das Finanças da Zona Euro, na próxima segunda-feira, onde deverá ser aprovada a ajuda a Portugal e debatido agravamento da crise grega. Para este Domingo o director-geral do FMI tinha prevista uma reunião com Ângela Merkel, para discutir a crise do euro.

Esta detenção devida a uma agressão sexual segue-se a outros delitos semelhantes anteriores de que é referido um há três anos (ver aqui). Por um lado evidencia que nos Países com Justiça independente aplicada a todos, os políticos e os ricaços não ficam imunes e impunes, ao contrário de países atrasados e sem ponta de civismo nem de vergonha, onde eles vivem totalmente ao lado da lei que é preparada por eles, com as condições adequadas à sua protecção. Mas resta saber quanto tempo demorará a ser abafado.

Imagem do DN

2 comentários:

Maria Letra disse...

Bom dia, amigo João Soares. Eu acabei de colocar no meu blog Letra-Sem-Treta, um texto sobre esta matéria, verdadeiramente escandalosa, a qual se irá juntar a tantas outras, a confirmar-se a veracidade da acusação. Perguntaremos, com toda a razão: -Mas, afinal, onde e quando irá parar esta série de poucas vergonhas que estão a acontecer a todos os níveis? Que esperança poderemos nós continuar a ter no Mundo que gostaríamos de deixar aos nossos filhos e aos nossos netos?
Não será que tenho razão quando defendo que sejam tomadas medidas nos diversos setores que visam a reforma moral do ser humano, começando pela base? Estou, simplesmente, dececionada!
Votos duma boa semana para si.

A. João Soares disse...

Amiga Mizita,

A empregada do Hotel, pode ou não estar a cumprir o recado do grupo que serve, para causar dificuldade ao milionário. Ou pode ter-se recusado a prestar um serviço por um preço inferior ao da categoria do aposento e do próprio candidato a parceiro.

À semelhança dos craques do futebol e do Constâncio quando era governados do BdP, este Strauss-Khan, não joga por desporto mas para ficar mais milionário e, como tal, para se mostrar merecedor das montanhas que recebe, impõe as suas taras e manias a todo o par de coxas que lhe aparece pela frente.

Até pode acontecer que esteja em competição com o Berlusconi ou outro que viva à custa do sacrifício de seres humanos desfavorecidos, que não podem fugir aos impostos.

Efectivamente, a humanidade precisa de uma boa barrela moral que a liberte de vírus recentes que estão demasiado pujantes.

Beijos
João
Do Miradouro